Links Especiais:

Piaget Limelight, Bienalle des Antiquaires de Paris

  • Publicado quinta-feira, 1 de julho de 2010

Desde 1962, quando a primeira Bienalle des Antiquaires (ou Feira de Antiguidades) um dos eventos internacionais de arte mais refinados e prestigiados do mundo, foi realizada em Paris, o Grand Palais tem sido o palco da exposição, a cada dois anos.

Inaugurado em 1900, durante a Feira Mundial, o Grande Palais é, sem dúvida, um dos centros de exposição de maior prestígio do mundo. O trabalho de restauração realizado entre 2001 e 2007, fez com que a Bienalle pudesse se expandir por mais de 1200 m², dentro do excepcional Palácio de Finas Artes. É lá que esteve posicionado o estande da Piaget, na Allée des Joailliers (Avenida dos Joalheiros), no centro do Grand Palais, sob uma imensa e deslumbrante cúpula de vidro de 45 metros de altura.

A primeira participação da Piaget na Bienalle des Antiquaires em Paris ocorre como uma continuação natural da história da marca. A tradição de excelência cultivada pela Piaget desde sua fundação em 1874, aliada à criatividade e ao sucesso do mundo da Arte, a torna um dos pontos principais deste evento.

A Piaget foi uma das primeiras empresas a combinar Haute Horlogerie e Haute Joaillerie, ao criar relógios que eram verdadeiras jóias, e vice-versa. Também foi uma das pioneiras a encarar o tempo por um outro ponto de vista, como uma entidade preciosa que merecia os materiais mais refinados e o conhecimento mais enriquecedor, para que sua medição fosse precisa, em formas de design sempre inovadoras.

Para a 25ª edição da Bienalle des Antiquaires, a Piaget reservou 60 modelos de Haute Joaillerie, inspirados no mundo da alta-costura. Dois mundos diferentes com tantos pontos em comum: a sofisticação estética, a manufatura de alta qualidade, a sensualidade e o luxo, a criatividade, a extravagância e a feminilidade.

Verificar o caimento de um tecido, um laço, uma estampa… Neste caso particular, a questão não são as rendas, mas as peças feitas em ouro, diamantes e outras pedras preciosas. Relógios, anéis e pulseiras que remetem aos bordados, zíperes e franjas. Milhares de horas de trabalho manual que podem ser surpreendidos pelos olhares admirados de entusiastas e visitantes.

Este relógio da coleção Limelight, referência G0A35107, inspirado em um zíper, foi totalmente feito em ouro branco 18 quilates e recoberto por diamantes. A caixa conta com 155 diamantes em corte brilhante (aproximadamente 3,0 quilates), possui formato ovalado e abriga o movimento a quartzo Piaget 56P.

O dial em ônix preto é discreto, tendo ao centro apenas os ponteiros em ouro branco, seguindo o padrão da marca. Sobre ele, 15 dos maiores diamantes em corte baguette, simulando cada um dos pequenos fechos de um zíper aberto.

A pulseira também é feita em ouro branco e possui o fecho integrado tipo clasp. Toda recoberta por 1.016 brilhantes (aproximadamente 8,8 quilates) e 24 diamantes em corte baguette (cerca de 5,1 quilates), a pulseira é realmente um traballho extraordinário de dedicação e cuidado, uma verdadeira obra de arte.

Por ser tão exuberante e exclusiva, a peça pode ser adquirida apenas sob encomenda.

Preço: avaliado em cerca de US$ 2 milhões, referência G0A35107 (sem impostos e frete)

Para maiores informações, visite o site: www.piaget.com

Redação Blog do Luxo – Todos os direitos reservados

O vídeo abaixo mostra as obras de arte e objetos cobiçados que estiveram em exposição durante a 25ª Biennale des Antiquaires em Paris