Links Especiais:

Champagne Taittinger Blanc de Blancs 1998

  • Publicado sábado, 27 de março de 2010

Lorde, dono de um feudo da França medieval durante o reinado de Luis IX, Thibaud IV foi o Rei de Navarre, um dos últimos condados da região de Champagne. Seu talento em fazer poesias e músicas lhe conferiu o apelido de “Thibaud, o Menestrel”. Sua musa inspiradora era ninguém menos que Blanche de Castille, esposa de Luis XIII, a Rainha da França.

Fugindo deste amor impossível, Thibaud IV deixou a França e se juntou a uma cruzada rumo à Terra da Esperança. Em seu retorno, passou pela Ilha de Chipre, de onde trouxe uma muda de parreira que dizem ser a antecessora da Chardonnay, a uva responsável pelas fortunas da maison Taittinger.

Como uma homenagem ao Condado de Champagne, que nesta época era de propriedade dos monges beneditinos da Abadia de St. Nicaise, e em tributo a Thibaud IV (cuja insígnia aparece em todas as suas garrafas), em 1952, a Taittinger criou um de seus vinhos mais raros e preciosos: a milésima safra do Comtes de Champagne Blanc de Blancs.

As adegas escavadas por monges no século XIII agora abrigam “a maior jóia da coroa” dos Champagne Taittinger, o vinho Comtes de Champagne Blanc de Blancs, cuja forma da garrafa se baseia nas garrafas utilizadas pelos monges e que permaneceram escondidas até a época da Revolução.

Os milhões de garrafas armazenadas nesta histórica adega aguardaram pacientemente o momento em que puderam despertar para sua maturidade plena.

Destruídos durante a Revolução Francesa, apenas a cripta da abadia permanece em seu lugar. As abóbadas intactas recebem todos os anos mais de 75.000 visitantes que demonstram espanto para estes vestígios de uma das melhores expressões do estilo gótico na região de Champagne.

O Comtes de Champagne de Blanc de Blancs é feito apenas com a mais fina seleção de Chardonnay, cujas uvas vêm exclusivamente das vinhas de grand crus de maior prestígio da Côte de Blancs, e incluem Avize, Chouilly, Cramant, Mesnil-sur-Oger, Oger, Bergères-les-Vertus e Vertus.

Produzida apenas nas melhores safras e em quantidades limitadas, este vinho tem fabricação artesanal desde as primeiras macerações da uva, até sua maturação por quase 10 anos nas centenárias adegas Taittinger. Trata-se de um vinho que é o melhor da elegância, delicadeza e finesse, ao mesmo tempo em que mostra grande complexidade.

A colheita de 1998 foi uma das melhores, tanto pela quantidade como pela qualidade, que produziu uvas com acidez e maturação excelentes. Como resultado, os vinhos pontam com um ótimo equilíbrio entre a acidez e a porção alcoólica – uma pré-condição para o potencial de envelhecimento, que fez com que a safra de 1998 rapidamente passasse a ter seu lugar reconhecido entre as melhores safras.

Com frescor e energia superiores, o Comtes de Champagne de Blanc de Blancs 1998 é, sem dúvida, um vinho de safra refinada, perfeitamente pronto para o consumo imediato, mas que irá continuar a se desenvolver por muitos anos se for estocado em condições adequadas em uma adega.

O Comtes de Champagne só pode ser produzido se todas as seguintes condições, essenciais para seu estilo único, acontecerem:

- A colheita deve ser de excelente qualidade e merecedora de uma safra de champagne.

- Deve ser feito apenas de uvas Chardonnay (100% grands crus), proveniente das vinhas mais cobiçadas da Côte des Blancs.

- Apenas o vinho da primeira maceração poderá ser utilizado (o “Cuvée”). Isso garante a finesse do vinho.

- 5% dos vinhos utilizados em seu blend sejam envelhecidos em novos barris de carvalho (um terço dos barris deve ser substituído a cada ano), para realçar as qualidades intrínsecas do blend final.

O líquido do Comtes de Champagne Blanc de Blancs 1998 é uma mistura de amarelo matte com brilhos prateados. As borbulhas são finas e abundantes e dão vida a um sabor elegante e duradouro.

Ao olfato, este champagne é intensamente refinado e etéreo, com aromas minerais remanescentes e uma delicada fragrância de flores brancas, com notas de amêndoas, baunilha e leves nuances de pinheiros florestais. A primeira impressão ao paladar é sua extrema refrescância, com sabores dominantes de frutas cítricas, traços de limão e grapefruit, com uma acidez muito leve e acabamento equilibrado. Após a degustação ficam marcadas a vivacidade, a longevidade e a complexidade deste maravilhoso champagne.

É o vinho ideal para comemorações de momentos raros e intensos, perfeito para realçar ainda mais a celebração de um evento importante. É um excelente acompanhamento para entradas com peixes ou frutos do mar, como carpaccio de atum branco com trufas.

Preço: US$ 420, a garrafa (sem impostos e frete)

Para maiores informações, visite o site: www.taittinger.com

Redação Blog do Luxo – Todos os direitos reservados

Assista ao vídeo abaixo e acompanhe Loïc Dupont, Mestre de Cave, em uma visita guiada pelas caves Taittinger