Links Especiais:

Brunello di Montalcino, o vinho da Toscana

  • Publicado quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Montalcino é uma pequena vila que abriga um forte, no alto de uma colina a 567 metros acima do nível do mar, e com apenas 5000 habitantes. Até pouco tempo atrás, era uma das áreas mais pobres da Itália, mas nos últimos anos, a sorte mudou a seu favor graças a um vinho que só pode ser produzido lá: o Brunello di Montalcino. Hoje, o Brunello di Montalcino é um dos mais famosos e um dos melhores vinhos tintos já produzidos no mundo.

Brunello (traduzido literalmente do italiano como “o pequeno moreno”) é o nome do clone das uvas Sangiovese selecionadas por Ferruccio Biondi-Santi, em sua propriedade Greppo Tenuta II no final de 1800, quando decidiu produzir um vinho com as melhores técnicas de vinificação daquele tempo.

Hoje, quando falamos em Brunello di Montalcino, estamos nos referindo a mais de 200 produtores, com cerca de 2.000 hectares de vinhas, no valor mínimo de € 250.000 por hectare. Mas vamos colocar essas figuras em um contexto histórico: em 1967, quando Montalcino fundou seu Consorzio, havia apenas 12 produtores trabalhando em pouco mais de 64 hectares, avaliados naquela época em cerca de 2000% a menos do que valem hoje. Desde o início, o Consorzio del Vino Brunello di Montalcino tem trabalhado pelo mérito do vinho com a finalidade de agregar valor a todos os produtores. Este é um caso particularmente interessante na indústria do vinho italiano. Hoje, caminhar entre os vinhedos de Montalcino é como andar sobre uma caixa de jóias a céu aberto.

O vinho Brunello di Montalcino deve ser produzido com 100% de uvas Sangiovese, e deve ser envelhecido por pelo menos 2 anos em tonéis de madeira, além de mais três anos na cave (o tamanho do barril não é padronizado). Isto dá liberdade a alguns enólogos de usar os tradicionais Botti Grandi (barril grande), que têm uma produção entre 2000 e 6000 litros, enquanto outros produtores preferem as Barricas (barris menores) que fabricam apenas 225 litros ou os Tonneau (com capacidade de 500 litros). Por lei, o Brunello di Montalcino é o vinho italiano que permanece mais tempo na adega antes de entrar no mercado. Os vinhos com classificação Riserva devem aguardar, por pelo menos seis anos.

Isso significa ter uma grande variedade de estilos de Brunello di Montalcino, com os tradicionais vinhos envelhecidos em barris de diversos sabores, como cereja vermelha, groselha, canela e cedro, ou paladares mais modernos que combinam cereja preta, baunilha e especiarias. Dentre os produtores tradicionais estão Biondi-Santi, Il Poggione e Talenti. Os produtores mais modernos incluem Fanti, Valdicava e Donatella Cinelli Colombini.

Além dos sabores em função da escolha dos tonéis, o processo de maceração também é muito importante. As características do vinho são mais ou menos acentuadas, de acordo com o tipo de solo onde a uva é plantada e com a altitude do terreno – que determinam a acidez da uva.

O melhor vinho é o Brunello di Montalcino Biondi-Santi, safra de 1964. Possui taninos adocicados e está maduro para ser degustado. Acredita-se que o Biondi-Santi seja tão especial por ainda realizar a maceração em grandes tonéis de madeira, utilizando-se de uvas das vinhas que têm pelo menos 10 anos para os Brunello, e de pelos 25 anos para os Riserva.

O enólogo Niccolò d’Afflitto, explica que a “Sangiovese [uva] é muito difícil de trabalhar. Basta pensar que, se chover durante seu período de amadurecimento, uma uva Cabernet pode crescer até um máximo de 4%, enquanto uma Sangiovese pode crescer mais de 40% em apenas algumas horas… E quando isso acontece, jogamos fora o trabalho de um ano inteiro!”.

O Consorzio del Vino Brunello di Montalcino garantiu o reconhecimento de Denominação de Origem Controlada e Garantida (D.O.C.G.) para os Brunello de Montalcino. Ele provou através dos anos, sua importância na reunião de pequenos, médios e grandes produtores, consolidando uma estratégia importante para o sucesso qualitativo da produção dos vinhos.

Esta é a beleza de Montalcino! Uma terra de contrastes, onde tudo ainda é possível. Se você está procurando garrafas para colecionar e abrí-las em poucas décadas, procure pelos Brunello das áreas mais altas de Montalcino, onde o solo é mais resistente. Se o seu Brunello deve estar pronto para beber e menos envelhecido, procure pelas vinhas de menores altitudes, onde o solo é mais areado. Se desejar um vinho mais equilibrado, agradável e relativamente jovem, mas com grande potencial, a melhor sugestão é o Galestro, clássico toscano de altitude média. Há sugestões para todos os gostos…

Preços: entre US$ 45 a US$ 370 (sem impostos e frete)

Para maiores informações, visite o site: www.consorziobrunellodimontalcino.it

Redação Blog do Luxo – Todos os direitos reservados

Assista abaixo ao vídeo sobre a maior vinícola produtora de Brunello di Montalcino – a Biondi-Santi