Links Especiais:

Veuve Clicquot La Grande Dame Rosé

  • Publicado sábado, 29 de dezembro de 2012

Um inverno extremamente frio, com neve em Montagne de Reims, deu lugar a um inesperado clima ameno, com pancadas moderadas de chuva. Pôde-se notar um pouco de geada em áreas mais vulneráveis. A primavera foi precoce e úmida, já o mês de maio trouxe a estiagem e dias mais quentes.

A chuva voltou no final do mês de junho, mas isso não afetou a florada, que chegou muito colorida e sob excelentes condições climáticas. Os climas úmidos e quentes, assim alternados no começo do verão encorajaram as parreiras a crescer mais rapidamente.

Agosto, o auge do verão, teve seus dias mais secos e ensolarados, perfeitos para o amadurecimento das uvas. O começo de setembro teve seus dias marcados por duas semanas de tempo nublado, o clima mudou, propiciando as condições ideais para a colheita das uvas, que estavam em condições magníficas.

Este foi o panorama climático do ano de 1998, uma safra que marcou o século e que se destaca por seu extraordinário potencial de envelhecimento.

Um mix especial, composto das melhores seleções de uvas Pinot Noir e Chardonnay, foi complementada por um vinho tinto com uvas Grand Cru de Bouzy, dando origem a um champagne elegante, encorpado e muito sensual – La Grande Dame Rosé, de Veuve Clicquot.

O blend é basicamente formado por 64% de uvas Pinot Noir, grand crus de Aÿ (região de Grande Valée de la Marne) e de Verzenay, Verzy, Ambonnay e Bouzy (em Montagne de Reims). Os outros 36% do blend foram formados por uvas Chardonnay de três grand crus: Avize, Oger e Le Mesnil-sur-Oger (em Côte des Blancs).

À espremedura desta combinação de uvas foi adicionado 15% de um vinho tinto, feito inteiramente de uvas tintas Pinot Noir, da commune de Bouzy. Todas essas uvas foram adquiridas em Clos Colin, um dos melhores terroirs, localizado no coração deste grand cru.

A La Grande Dame Rosé 1998 é um verdadeiro deleite para os sentidos. Com um visual muito atraente, sua garrafa possui as curvas de uma dama elegante e misteriosa, envolta em um vestido negro e brilhante. Seu rótulo, um salmão acobreado pouco rosáceo, é uma das expressões marcantes do estilo Veuve Cliquot.

Seu bouquet é sofisticado e muito expressivo, com notas frutadas de morango, grapefruit e marmelo, combinadas a nuances picantes de pimenta e canela. Sirva o champagne em uma flute e façaó rodopiar dentro da taça, para liberar os aromas gourmet, como cereja griotte e geléia de amora, que parecem se misturar perfeitamente a um aroma de brioche.

A complexidade aromática deste champagne é extraordinária e torna-se ainda mais intensa ao prová-lo.

No paladar, é possível sentir uma combinação de cereja griotte, romã e amora cristalizada, realçadas pela presença de notas doces como a baunilha, que conferem uma suavidade aveludada inconfundível à La Grande Dame Rosé 1998. Graças à presença de uvas Pinot Noir, os aromas deste champagne são fortes e permanecem ativos até o final de sua desgustação. A verdade é que a La Grande Dame Rosé 1998 nos oferece um leque rico em sabores, devido à longa duração de seus aromas e de suas notas marcantes.

A coleção La Grande Dame de Veuve Clicquot presta uma homenagem a Nicole Posardin, viúva de Felippe Clicquot, que contam ter desenvolvido um método especial para retirar todo o fermento de dentro da garrafa de champagne. Antes, o champagne era turvo e possuía um aroma residual de levedura. Isso fez com que o champagne se tornasse uma bebida transparente, com visual e aroma mais atraentes. Nicole Ponsardin era conhecida por La Grande Dame, por sua personalidade admirável.

Preço: US$ 2.000, garrafa Jeroboam – 3 litros (sem impostos e frete)

Para maiores informações, visite o site: www.veuve-clicquot.com

Redação Blog do Luxo – Todos os direitos reservados www.blogdoluxo.com